Mosteiro de Santa Maria de Salzedas reinventado por um dia

Teatro, fado, visitas, conversas, história e estórias, show cooking, transformaram o Mosteiro de Santa Maria de Salzedas num espaço de descoberta e de experiências únicas. O dia 19 de maio foi de “Dias do Património a Norte” que, com múltiplos contributos e de forma informal, revelaram a riqueza deste mosteiro cisterciense. O museu de Lamego associou-se ao evento e convidou toda a comunidade a celebrar a Noite dos Museus no núcleo museológico do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas. Mais de quatro centenas de pessoas aceitaram o desafio.

A manhã arrancou com uma visita-jogo que trouxe novas propostas de descoberta e terminou, pela mão do Teatro Serra do Montemuro, com a “pequena gota de água” que do céu cai para dar às crianças o poder de trazer chuva… O público aderiu e “ajudou” ao regresso da preciosa “gota de água” ao tornar-se ator e ao integrar o elenco da peça “À Espera que Volte”.

Pela voz de Mestre Humberto e do coordenador do projeto Vale do Varosa, Luís Sebastian, o público foi ainda brindado com as estórias por detrás da intervenção no Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, num cruzamento de pormenores únicos, com destaque para a técnica de recuperação da abóbada do Claustro do Capítulo. Novas dimensões do conhecimento tomaram forma ao longo de cerca de uma hora, com a palavra “partilha” a assumir o papel principal.

Papel dividido, logo de seguida, com “Paisagem Cultural”, tema das “Conversas” que reuniram na igreja do mosteiro Maria Alegria Marques, Professora Catedrática do Departamento de História, Arqueologia e Artes da Universidade de Coimbra, Natália Fauvrelle, responsável pelo Serviço de Museologia do Museu do Douro, e Bruno Cardoso, presidente da Associação de Desenvolvimento Local Inovterra. Juntos debateram a importância da paisagem ou, como defendeu Natália Fauvrelle, das paisagens, se tivermos em conta que o espaço, o tempo e as condições ambientais influenciam a percepção da paisagem de cada um sobre o mesmo espaço. O projeto do Horto Monástico do Mosteiro de São João de Tarouca também esteve em destaque e apresentado por Bruno Cardoso como um dos melhores exemplos de recuperação da paisagem cisterciense do século XVIII a nível nacional. Coube a Maria Alegria Marques encerrar a sessão com uma lição de História sobre Cister.

E entre vinho, espumante, queijo, caldo, compotas e geleias, sarrabulho, bazulaque, todos reinventados com o sabor ancestral do sabugueiro e pela mão do Chef Tiago Santos, terminou a tarde no Mosteiro de Santa Maria de Salzedas. Em forma de piquenique, os participantes ouviram as receitas e provaram as mais diversas iguarias, como um queijo curado em cinza de sabugueiro ou o caldo de castanha com mel e sabugueiro ou ainda o sarrabulho doce com mel, nozes, tomate e, claro, sabugueiro.

Tudo para preparar os estômagos para o programa da noite que encerraria dos Dias do Património a Norte no Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, não sem antes abrir ao público a instalação que juntou um fotógrafo, Paulo Pimenta, e um músico, Samuel Coelho. Os dois residiram durante uma semana em Salzedas e durante uma semana recolheram as imagens e os mais diversos sons. O resultado foi um tríptico de vídeo e áudio onde a grande protagonista é a comunidade local.

A finalizar, a inconfundível voz de Aldina Duarte que na Sacristia do Mosteiro provou que o fado pode ser o ponto de encontro com as mais diversas artes.

Esta foi a segunda iniciativa do Ciclo Dias do Património a Norte, um evento em rede promovido pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) e que até ao mês de setembro vai transformar oito lugares patrimoniais da região Norte. Como assinalou o Diretor Regional de Cultura do Norte, António Ponte, este é um novo modelo de comunicação e de vivência do património com o objetivo de, de uma forma informal, trazer a comunidade para “dentro” do património.

Em cada espaço a DRCN propõe uma estória, um sabor, uma tradição, uma descoberta, estimulando a dinamização cultural em locais de valor patrimonial inesgotável, criando sentimentos de descoberta e de pertença. Um convite para conhecer a riqueza viva do património a Norte…