Retábulo de São João Evangelista

No final de 2013 arrancava o restauro da Capela de São Evangelista, proveniente do extinto Convento das Chagas de Lamego. A intervenção foi tanto ou mais importante quando consideramos o relevo histórico e artístico do conjunto a restaurar, entre estrutura, talha dourada, pintura e escultura, além desta ação ter constituído uma oportunidade única de sensibilização do público para a importância da conservação das obras de arte, por todo o processo ter sido realizado “ao vivo”.

Como não poderia deixar de ser, o restauro que incluiu 19 esculturas levaria, no ano seguinte, à conceção de uma exposição temporária, a que se juntaram outras esculturas barrocas do museu, num total de 26. Pela primeira vez, as esculturas puderam ser observadas na sua verdadeira tridimensionalidade, ganhando outra dimensão, aproximando-se do público, sublinhando a expressão plástica e iconográfica da escultura portuguesa dos séculos XVII e XVIII.

O catálogo de “A Glorificação do Divino” viria em 2015 fechar este ciclo, procurando ser uma síntese de todo este percurso, um testemunho quer do restauro, quer da exposição daí resultante.

Este projeto mereceu duas distinções da APOM – Associação Portuguesa de Museologia – primeiro em 2015 na categoria “Melhor Intervenção em Conservação e Restauro” e em 2016 na categoria “Melhor Comunicação Online”, pela publicação do catálogo da exposição em forma de e-book.

            O RESTAURO                                A EXPOSIÇÃO                             O CATÁLOGO