Cálice

Simão Ferreira (atrib)

Coimbra, século XVII

Prata dourada, fundida, cinzelada, relevada e incisa. Cabochões

Proveniência: antigo Paço Episcopal de Lamego

Inv. 142 

O cálice tem sido atribuído ao ourives de Coimbra, Simão Ferreira, autor de um outro cálice pertencente à capela dessa Universidade com o qual partilha a mesma forma e gramática decorativa. A razão da vinda desta peça para Lamego talvez se deva a D. Martim Afonso Melo (1601-1613), futuro bispo de Coimbra, ou a D. Martim Afonso Mexia que ocupou a mitra lamecense um pouco mais tarde, em 1615, mas de quem, desde cedo, se conhecem constantes relações com a Universidade.

Apresenta base circular alteada em dois registos, haste com nó em forma de urna, copa lisa, em forma de campânula, e falsa copa semiesférica ornamentada. Na base, em três cartelas, surgem as representações relevadas de Cristo, São Miguel e do Santo Sudário, alternadas por querubins. Nos interstícios observam-se pendentes com frutos, motivos vegetalistas, aves, caracóis e uma abelha. O nó encontra-se dividido por seis aletas em forma de quimera alternadas por cabeças de guerreiro, cabochões e pontas de diamante. Um balaústre, preenchido com querubins, aletas e ovados, estabelece a ligação entre a haste e a falsa copa, decorada com querubins e cabochões, entre festões de frutos e quimeras, de onde pendem seis tintinábulos.