Ciclo de Cinema do Museu de Lamego homenageia Ingmar Bergman

O Ciclo de Cinema do Museu de Lamego regressa em agosto para duas semanas dedicadas à sétima arte. Em 2018, o museu presta homenagem a um dos maiores cineastas do século XX, no ano do centenário do nascimento de Ingmar Bergman. De 12 a 24 de agosto há cinema todos os dias, às 14h00 e às 16h00, num projeto que na sexta edição conta ainda com um dia dedicado à fotografia e cinema. Entrada livre.

Resultado de uma parceria entre o museu e o Teatro Ribeiro Conceição, nesta edição, além da habitual parceria da FNAC Viseu, são parceiros do Ciclo de Cinema o Cine Clube de Lamego e a prestigiada Ingmar Bergman Foundation, com sede na Suécia, dando dimensão internacional ao ciclo.

Cineasta mundialmente famoso, lendário diretor de teatro e escritor excecional, Ersnt Ingmar Bergman, nasceu a 14 de julho de 1918 e viveu até aos 89 anos. Pelo caminho deixou mais de 60 filmes, mais de 170 produções teatrais, tendo ainda escrito mais de cem livros e artigos. Entre as suas obras mais famosas estão filmes como “O sétimo selo” ou “Morangos silvestres”, ambos em exibição no Ciclo de Cinema do Museu de Lamego.

A preto e branco ou a cores, Ingmar Bergman alternava as composições mais clássicas com experiências de difícil classificação, como “A máscara”, considerada hoje uma das obras-primas da Sétima Arte.

Celebrado por fãs e críticos, continuando ainda hoje a fascinar e a chocar o público, Bergman venceu três Óscares de Melhor Filme Estrangeiro – em 1960 por “A Fonte da Virgem”, no ano seguinte por “Em Busca da Verdade” e em 1983 por “Fanny e Alexandre”. Cannes homenageou-o em 1997 com a “Palma das palmas”, tendo sido Ingmar Bergman o único cineasta até hoje a vencer esse prémio.

Nos 100 anos do seu nascimento, o Museu de Lamego presta homenagem ao homem e à sua obra, com a exibição de 13 de filmes, diariamente, com sessões às 14h00 e às 16h00 e no dia 24, dia de encerramento do ciclo, também às 21h30.

No dia 17 de agosto, e associando o Ciclo de Cinema ao Dia Mundial da Fotografia que se assinala dois dias depois, no museu vai falar-se da tradição do Cinema em Lamego, pela voz de Fernando Cabral do Cine Clube de Lamego, e ainda da fotografia nos filmes de Bergman, pelo fotógrafo Júlio de Matos, numa conversa agendada para as 21h30.