Conhecer, Conservar, Valorizar

“Conhecer Conservar Valorizar” é um projeto que reúne um conjunto de obras referenciadas na campanha de angariação de fundos, com o mesmo nome, iniciada em 2011 e premiada, em 2012, pela APOM – Associação Portuguesa de Museologia, na categoria de “Melhor Intervenção em Conservação e Restauro”.

Vocacionada para a promoção de uma relação de crescente cumplicidade entre a comunidade e as «memórias» que as coleções do Museu evocam, “Conhecer, Conservar, Valorizar” tem por finalidade sensibilizar o público para um conjunto de obras do Museu de Lamego que se impõem pela sua importância histórica, artística e estética, mas também pela urgência de uma intervenção de conservação e restauro.

No terreno desde 2011, foi já possível, com o apoio de muitos anónimos, o restauro da gravura francesa de século XVII intitulada “África”. 

Em 2014, nascia no final do circuito expositivo do Museu de Lamego uma sala inteiramente dedicada ao projeto, num desafio ao fundraising. Aqui, o visitante encontra sacos “ecológicos”, totalmente elaborados pela equipa do Museu de Lamego a partir da reciclagem de pendões que outrora tiveram como função anunciar, na fachada, os eventos realizados no museu.

Ciente da importância que este material de divulgação teve ao longo dos anos, o museu dá-lhe uma nova vida, com um duplo objetivo: por um lado reutilizar um conjunto de materiais que perderam o uso a partir do momento em que os eventos que anunciam terminaram e, por outro, servir de motor para o contributo à campanha “Conhecer Conservar Valorizar”.

Promovendo a tão desejada cumplicidade com o público, a sala de exposição dedicada à campanha “Conhecer Conservar Valorizar” disponibiliza ainda o mural do mecenas. O público tem respondido ao desafio…

O ano de 2017 trouxe uma nova viragem, com a entrada, além dos numerosos anónimos que continuam a contribuir para a campanha, de mecenas empresariais – Sogrape, com a marca Grão Vasco, e Six Senses -, que tornaram possível o restauro da pintura portuguesa do século XVI intitulada “Quo Vadis?”.

Em 2018, o númeo 3 da revista é dedicado ao restauro do Retábulo da Sagrada Família, proveniente do extinto Convento das Chagas de Lamego.

Das ações de restauro resultam os cadernos “Conhecer Conservar Valorizar”. De acesso livre, cada um dedicado a cada uma das peças intervencionadas, os cadernos abordam os objetos em todas as suas vertentes e apostam no caráter multimédia, integrando reportagens vídeo sobre o processo de restauro e estudo da peça.