“Embaixadores” traçam novos olhares sobre o Museu de Lamego

Há ligações que fazem todo o sentido. É por isso que o Museu de Lamego está a desafiar a comunidade a criar laços efetivos com o seu museu, através da figura do “embaixador”. No terreno desde o final de agosto, este é um projeto que procura congregar esforços nas mais diversas áreas de atuação do museu.

Em apenas um mês e meio, o Museu de Lamego já apresentou embaixadores para as áreas da fotografia, juventude e educação, num projeto que, por um lado, pretende trazer novos olhares sobre o museu e, por outro, promover parcerias responsáveis, numa abertura cada vez maior à comunidade.

O contributo dos “embaixadores” materializa-se na promoção de eventos e na participação ativa da comunidade nos projetos do museu, que se pretende seja encarado como um espaço orgânico.

Rostos do museu, os “embaixadores” trazem a sua experiência, funcionando como elos de ligação com o exterior, nas mais diversas áreas. Às já anunciadas, vão juntar-se brevemente o património e a arquitetura.

Os primeiros a aceitar o desafio foram os embaixadores para a fotografia João Lafuente e Manuela Matos Monteiro, diretores das Galerias Mira (Porto, Campanhã). Seguiram-se Afonso Lima e João Pedro Fonseca, da Associação Zigur Artists, responsável pelo reconhecido e firmado festival de música moderna de Lamego Zigur Fest, como embaixadores da juventude, a que se juntou, no passado dia 9 de outubro, a professora lamecense Marina Valle, que irá colaborar com o museu, na área da educação. Os testemunhos dos embaixadores encontram-se registados em vídeo.