Misericórdia de Lamego. 1519-2019

Nasceu com fim assistencial e caritativo, mas ao longo dos séculos assumiu um papel ativo no mecenato artístico. Artistas e mecenas foram deixando a sua marca em diversas campanhas de decoração, marcas que o Museu de Lamego evoca em “Misericórdia de Lamego. 1519-2019”. A inauguração da exposição está marcada para as 21h30 do próximo dia 18 de maio, numa iniciativa que integra as comemorações do Dia Internacional dos Museus.

Refletir sobre os 500 anos da Santa Casa da Misericórdia de Lamego assume particular relevância, a partir do momento em que primitiva igreja desapareceu, na sequência de um grande incêndio, em 1911, que consumiu grande parte da rua onde estava instalada, a Rua de Almacave.

Com a posterior transferência para a igreja das Chagas, houve obras que se perderam e outras que ficaram dispersas. As remanescentes permitem evocar duas das mais importantes campanhas de decoração da primitiva igreja, uma cerca de 1650 e a segunda em finais do séc. XVIII.

Um percurso pela memória artística da Misericórdia de Lamego é a proposta do Museu de Lamego no Dia Internacional dos Museus que em 2019 comemora os “Museus como centros culturais: o futuro da tradição”, cada vez mais focados no público e orientados para a comunidade.

“Misericórdia de Lamego. 1519-2019” resulta de uma parceria entre o Museu de Lamego, Direção Regional de Cultura do Norte e Santa Casa da Misericórdia de Lamego, com o apoio da Liga dos Amigos do Museu de Lamego e Lusitania Seguros.