Visitação

Pedro Alexandrino (1730-1810),1790

Pintura a óleo sobre tela

Proveniência: antiga igreja da Misericórdia, Lamego

Inv. 45

A Visitação integrava o conjunto pictórico da igreja da Misericórdia de Lamego, tendo-se salvado de um enorme incêndio, que destruiu o templo em 1911. Por uma descrição do século XVIII, sabemos que no altar-mor se dispunha um elaborado dispositivo retabular com duas tribunas, onde figuravam, para além de pinturas com cenas da Paixão, a cena da Visitação da Virgem a santa Isabel, encimada por uma Nossa Senhora da Misericórdia. 

Ao centro e no primeiro plano desta composição de proporções monumentais figura o encontro entre Maria e sua prima santa Isabel, secundadas pelos respetivos esposos, são José e são Zacarias. No remate, a presença divina, evocada por uma revoada de nuvens habitadas por anjos, querubins e putti. Desprende-se desta pintura um certo sentido cenográfico e teatral, visível na pose e gestualidade afetada das personagens, temperado, todavia, pelo classicismo das arquiteturas de fundo, que servem também para escalonar, em profundidade, os diversos planos.

Notabilizado pela sua extensa atividade como pintor, Pedro Alexandrino executou numerosas obras, com incrível desenvoltura e rapidez, não só para quase todas as igrejas de Lisboa e proximidades, mas também em várias terras do país, tendo aceitado sempre todo o tipo de trabalhos. Por esse motivo, a história da arte o imortalizou com o epíteto de “fa presto”. Marcando um período de transição na pintura do século XVIII, a sua obra, estilisticamente, filia-se na pintura barroca italiana (não é por acaso a italianização da alcunha), já influenciada pelas gravuras do classicismo francês que, entretanto, foram afluindo a Portugal.

Desta pintura foi feita uma cópia, em azulejo, pela Fábrica de Cerâmica do Carvalhido (Porto), em 1959. Faz parte da série de oito painéis dedicados à vida da Virgem, encomendados pela Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios de Lamego, para decoração dos muros dos patamares do escadório que se ergue até ao santuário com a mesma evocação.