Workshop de Fotografia no Museu de Lamego

Inserida nas atividades da programação complementar do Ciclo de Fotografia do Museu de Lamego e Vale do Varosa, o Museu de Lamego promove uma formação vocacionada para os técnicos afetos aos serviços de documentação fotográfica dos museus e monumentos da Direção Regional de Cultura do Norte. 

PROGRAMA
A reprografia é a única técnica que possibilita uma quase reprodução de um trabalho artístico plano/bidimensional: desenhos, pinturas, gravuras, fotografias, etc. A conjugação de equipamento adequado e um conhecimento profundo dos procedimentos e seus fundamentos são requisitos essenciais para produzir resultados convincentes. A frequência deste workshop permite ficar tecnicamente auto-suficiente para documentar ou reproduzir trabalhos artísticos planos.

Numa perspetiva da fotografia de reprodução, e de modo acessível, o workshop abordará as bases da técnica fotográfica e câmara fotográfica, debruçando-se sobre objetivas, abertura do diafragma, tempo de exposição, profundidade de campo, sensores, velocidade de ISO, bem como sobre modos de operação: programa, automático, prioridade à abertura, prioridade à velocidade, manual e modos de focagem, acessórios e procedimentos; temperatura de cor, balanceamento de brancos, ruído de imagem, compensação de exposição, bracketing, captura em RAW. 


O workshop compreende vários exercícios práticos, com material disponibilizado para o efeito. 

Os participantes receberão um certificado de participação. 


Formador: Júlio de Matos Local: Museu de Lamego 

Data: 8 de Novembro 

Horário: 9h30-12h30; 13h30-18h00 (7 horas)

Destinatários: técnicos dos museus e monumentos afetos à DRCN

Pré-requisitos: Conhecimentos básicos de fotografia e tratamento de imagem 

Equipamento do formando: Câmara fotográfica digital 

N.º máximo de formandos: 12 

Prazo de inscrição: 5 de novembro 

A formação é gratuita, mas obrigatória e pode ser efetuada aqui: http://bit.ly/2N807Z4

Júlio de Matos Nasceu em Braga. Desde muito jovem se interessa pela fotografia, pelo trabalho de laboratório a preto e branco, sendo-lhe encomendados retratos.
Em 1974, faz aprendizagem em Design Industrial, com Gerald Gulotta do Brooklyn Pratt Institute, NY, USA, no Industrial Design Workshop 74, organizado pelo FFE – Fundo de Fomento de Exportação. Em 1976 conclui o Curso Superior de Arquitectura na ESBAP – Escola Superior de Belas-Artes do Porto. Aprefeiçoa os seus conhecimentos de fotografia ao ter-lhe sido concedida a ITT – International Fellowship, através do Fulbright-Hays Scholarship Program para estudos de pós-graduação no MFA in Photography Fine Art Program do RIT – Rochester Institute of Technology, Rochester, NY, USA, entre 1979/81, onde estudou com Charles A. Arnold Jr., Owen Butler, Bea Nettles, John Pfahl, Elliot Rubenstein e Richard D. Zakia, entre outros. Parte do seu trabalho inicial lida e explora as interligações entre a manualidade, as técnicas fotográficas e os processos fotográficos alternativos, com a visão, o conteúdo e o significado. Realizou alguns projectos fotográficos, que resultaram das suas múltiplas viagens na Ásia, que evidenciam a sua preocupação com a sobrevivência e extinção de culturas ancestrais. Mais recentemente a série fotográfica “Flat Water”, realizada no Norte de Portugal, lida com intervenções digitais como um meio para questionar a aparente tridimensionalidade da paisagem na prova fotográfica. No trabalho “Diário de Viagem – No Caminho de Santa Fé”, (New Mexico. USA, 2012) realizado numa deslocação de âmbito pessoal ao Novo México, explora a relação texto/imagem, desde a narração à metáfora. Em 2016, no mesmo espírito, encenta as “Crónicas de Ronci”. O seu trabalho está representado nas coleções de museus de todo o mundo, tendo participado em diversas exposições coletivas e individuais. Com diversas publicações e participação em conferências, possui experiência na área do ensino. Referência: Serém, Maria do Carmo (2009), «Fotografia em Portugal». Rodrigues, Dalila (coord). Arte Portuguesa. Da pré-história ao século XX, Fubu Editores.